Pré -Tribulacionismo

Pré -Tribulacionismo é uma doutrina teológica cristã que afirma que a Segunda Vinda de Jesus Cristo ocorrerá em duas fases distintas: primeiro, Ele virá secretamente para arrebatar sua igreja (os cristãos fiéis) da Terra antes de um período de tribulação de sete anos, que será um tempo de julgamento e sofrimento para aqueles que não aceitaram a Cristo como seu salvador. Depois disso, Jesus voltará abertamente para derrotar o anticristo e estabelecer seu reino na Terra.

Os defensores do Pré -Tribulacionismo baseiam-se principalmente em uma interpretação literal da Bíblia, especialmente de passagens como 1 Tessalonicenses 4:16-17 e 1 Coríntios 15:51-52, que descrevem a “ressurreição dos mortos” e o “arrebatamento dos vivos”. Eles argumentam que a igreja não será submetida à ira de Deus durante a tribulação e a sua remoção da Terra permitirá que Deus julgue os ímpios e os incrédulos.

O Pré -Tribulacionismo é uma das principais interpretações escatológicas do cristianismo dispensacionalista, sendo uma abordagem teológica que enfatiza a distinção entre Israel e a igreja. Segundo essa interpretação, a tribulação é um período de sete anos em que Deus julgará a terra e punirá os ímpios por sua rebelião contra Ele. Durante este período, o Anticristo governará a terra, e haverá uma série de julgamentos divinos, como as sete taças, as sete trombetas e os sete selos.

Os defensores do Pré -Tribulacionismo afirmam que a igreja será removida da terra antes do início da tribulação, em um evento conhecido como “arrebatamento”. Eles argumentam que a Bíblia ensina que a igreja não foi destinada à ira de Deus, portanto, não deve passar pela tribulação. Em vez disso, a igreja será levada para o céu para estar com Jesus Cristo durante a tribulação.

Além disso, os defensores do Pré -Tribulacionismo argumentam que a presença da igreja na terra impede o início da tribulação. Eles afirmam que a igreja é a “restrição” mencionada em 2 Tessalonicenses 2:7, que está impedindo o Anticristo de ser revelado. Quando a igreja for removida, o Anticristo poderá se revelar e iniciar a tribulação.

Pré-Tribulacionismo

8 Razões para crer no Pré -Tribulacionismo

1Nenhuma passagem bíblica declara explicitamente que a Igreja passará pela Grande Tribulação. Israel, sim, está identificado com a Grande Tribulação, como também as nações e os ímpios em todo o mundo, mas a verdadeira Igreja não e mencionada.
2O livro do Apocalipse trata, em geral, dos últimos 7 anos a “Septuagésima Semana” revelada a Daniel (Dn 9.27). João relata a Grande Tribulação após o capitulo 4.1 “depois destas coisas”, isto é, depois do período da Igreja.
3Os capítulos 9 a 19 descrevem os tempos da Grande Tribulação. Em todo esse trecho a Igreja não é mencionada nenhuma vez, direta ou indiretamente, como estando presente na Tribulação.
4A promessa a Igreja de Filadélfia, a cidade do amor fraternal, a Igreja verdadeira dos últimos dias da presente dispensarão. “Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam sobre a terra” Apocalipse 3.10. A expressão “hora da provação”, da qual a Igreja será guardada, só pode ser a Grande Tribulação, pois se trata de algo de âmbito internacional.
5A Grande Tribulação representa um período de juízo ou ira sobre o mundo ímpio, a “igreja” apostata e Israel em rebeldia. Os juízos mais terríveis desse período são justamente os sete “flagelos”. Em apocalipse
15.1 e 16.1-9 notam-se as seguintes fortíssimas expressões: “pragas… porque nelas é consumada a ira de Deus”, “Ide e derramai sobre a terra as sete taças da ira de Deus”.
Em contraste com esse castigo que Deus manda sobre a terra, temos a promessa de Jesus em João 5.24: “quem ouvi minha palavra… não entrará em condenação…” “Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação…” (1Ts 5.9). “Sendo justificados pelo seu sangue, seremos salvos por ele da ira” (Romanos 5.9). Paulo declara que “Jesus… nos livra da ira futura” (1Ts 1,10).
6Devemos esperar a Vinda de Cristo, e não a Grande Tribulação. A Igreja é o “sal” que preserva o mundo. Quando for tirado do meio dos homens (conforme previsto em 2Ts 2.7-10), então é que o mundo entrará em estado de “putrefação” moral e espiritual. Então será revelado o mistério da iniquidade, o anticristo, e toda a sua operação do erro.
7Já que a Igreja é o corpo, do qual Cristo é a cabeça (Ef 1.22; 5.23; Cl 1.18) a noiva de Cristo (1Co 11.2; Ef 5.23), o objeto de seu amor (Ef 5.25), os ramos dos quais Ele é a videira e a raiz (Jo 15.5), o edifício do qual Ele é a base da pedra angular (1Co 3.9; Ef 2.19-22), existe entre o crente e o Senhor uma união e uma unidade.
O crente não está mais separado dele. Se a Igreja estiver na Grande Tribulação está sujeita a ira, ao julgamento e a indignação que caracterizam este período, pela sua união com Cristo, Ele, da mesma maneira, estaria sujeito ao mesmo castigo. Isso é impossível de acordo com (1Jo 4.17, pois Ele não pode ser julgado novamente.
8Apocalipse 13.7 esclarece que todos os que estiverem na Grande Tribulação serão submetidos à besta e por meio dela a Satanás, que dá a besta o seu poder. Se a Igreja estivesse neste período, ela se sujeitaria a Satanás, e Cristo perderia seu lugar como cabeça, ou ele mesmo, pela sua união com a Igreja, estaria igualmente sujeito a autoridade de Satanás. Tal coisa é impensável.

Defensores desta Corrente Escatológica

  • Há muitos teólogos e estudiosos cristãos que defendem a doutrina do Pré -Tribulacionismo. Alguns dos mais conhecidos são:
  • John Nelson Darby – considerado o fundador do dispensacionalismo e um dos principais defensores do Pré-Tribulacionismo.
  • C. I. Scofield – autor da Bíblia de Referência Scofield, que popularizou a interpretação dispensacionalista e do Pré-Tribulacionismo.
  • Tim LaHaye – autor da série de livros “Deixados para Trás”, que apresenta uma narrativa fictícia do arrebatamento e da tribulação.
  • Hal Lindsey – autor do livro “O Grande Planeta Terra”, que popularizou a interpretação do Pré-Tribulacionismo para uma audiência mais ampla.
  • Thomas Ice – fundador do Instituto de Estudos da Profecia, um grupo de pesquisa que promove o Pré -Tribulacionismo e o dispensacionalismo.

Esses e outros defensores desta corrente escatológica baseiam-se principalmente em uma interpretação literal da Bíblia e em uma compreensão da relação entre Israel e a igreja. No entanto, há muitos outros teólogos e estudiosos cristãos que discordam dessa interpretação e defendem outras abordagens escatológicas.

Escatologia Bíblica
Meso – Tribulacionismo
Pós – Tribulacionismo
Amilenarismo
Pré-Milenarismo
Pós-Milenarismo

ADILSON CARDOSO

Adilson Cardoso: Teólogo, Filósofo — Professor de Filosofia, Teologia, Hebraico e Grego.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.