Pós -Tribulacionismo

Pós -Tribulacionismo é uma corrente escatológica que afirma que a Igreja passará pela Grande Tribulação descrita na Bíblia, que é um período de grande sofrimento e perseguição que acontecerá antes da volta de Jesus. Essa posição acredita que a Igreja estará presente na Terra durante toda a tribulação, mas será resgatada por Jesus na sua segunda vinda, que acontecerá imediatamente após a tribulação.

Essa posição é oposta ao Pré-Tribulacionismo, que afirma que a Igreja será arrebatada antes do início da Grande Tribulação. Além disso, também difere do amilenarismo e do pós-milenarismo, que não veem a necessidade de uma separação específica entre a tribulação e o retorno de Jesus.

Pós-Tribulacionismo

Defensores da teoria do Pós -Tribulacionismo

Há muitos estudiosos e líderes cristãos que defendem a posição Pós -Tribulacionismo. Alguns exemplos incluem:

  • George E. Ladd – Ladd foi um teólogo batista americano que lecionou no Fuller Theological Seminary. Ele escreveu vários livros sobre escatologia, incluindo “A Theology of the New Testament” e “The Blessed Hope”. Ladd defendeu a posição pós-tribulacionista e argumentou que a Igreja deve se preparar para enfrentar a tribulação antes do retorno de Cristo.
  • J. Barton Payne – Payne foi um estudioso americano que lecionou no Wheaton College e escreveu vários livros sobre escatologia, incluindo “Encyclopedia of Biblical Prophecy” e “The Imminent Appearing of Christ”. Ele defendeu a posição pós-tribulacionista e argumentou que a Igreja deve estar preparada para enfrentar a tribulação antes do retorno de Cristo.
  • John Piper – Piper é um pastor batista americano e autor de vários livros, incluindo “Desiring God” e “The Pleasures of God”. Ele é um defensor da posição pós-tribulacionista e argumenta que a Igreja deve esperar enfrentar a tribulação antes do retorno de Cristo.
  • R.C. Sproul – Sproul foi um teólogo reformado americano e fundador do ministério Ligonier Ministries. Ele defendeu a posição pós-tribulacionista e argumentou que a Igreja deve estar preparada para enfrentar a tribulação antes do retorno de Cristo.

Base Bíblica

A base bíblica para o Pós -Tribulacionismo pode ser encontrada em diversas passagens do Novo Testamento. Aqui estão algumas delas:

  • Mateus 24:29-31 — Nessa passagem, Jesus descreve sua segunda vinda após a tribulação. Ele diz que “imediatamente após a tribulação daqueles dias […] aparecerá no céu o sinal do Filho do homem” e que “as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória”. Ele também diz que “ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, e eles reunirão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus”.
  • 2 Tessalonicenses 2:1-4 – Nessa passagem, Paulo fala sobre a vinda do Senhor e a reunião dos cristãos com Ele. Ele diz que “não vos deixeis perturbar de espírito, nem alarmar, quer por alguma palavra, quer por epístola, como se fosse de nós, como se o Dia do Senhor estivesse já perto”. Ele continua dizendo que “aquele Dia não virá sem que primeiro venha a apostasia, e seja revelado o homem da iniquidade”, sugerindo que a tribulação deve ocorrer antes da segunda vinda de Jesus.
  • Apocalipse 7:13-14 — Nessa passagem, João descreve uma visão de uma grande multidão que está diante do trono de Deus. Ele pergunta quem são essas pessoas e informado de que são “os que vêm da grande tribulação”. Essa passagem sugere que os cristãos serão presentes na Terra durante a tribulação, mas serão resgatados por Jesus após ela.
  • Mateus 13:24-30, 36-43 — Nessa passagem, Jesus conta uma parábola sobre o trigo e o joio, onde o trigo e o joio crescem juntos até a colheita. Ele explica que o trigo representa os filhos do reino e o joio representa os filhos do maligno. Na interpretação dessa parábola, os Pós -Tribulacionistas veem a Igreja como o trigo e os ímpios como o joio. Eles argumentam que a Igreja e o mundo vão coexistir até o fim da tribulação, quando Jesus vai separá-los definitivamente.
  • 1 Tessalonicenses 4:16-17 — Nessa passagem, Paulo fala sobre o arrebatamento dos santos. Ele diz que “o Senhor mesmo descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois, nós os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”. Os pós-tribulacionistas argumentam que esse arrebatamento acontecerá após a tribulação, quando Jesus voltar para resgatar a Igreja.
  • Apocalipse 20:4-6 – Nessa passagem, João descreve a ressurreição dos santos, que foram mortos devido à sua fé em Jesus. Ele diz que eles “viveram e reinaram com Cristo durante mil anos” e que “esta é a primeira ressurreição”. Os pós-tribulacionistas argumentam que essa ressurreição acontecerá após a tribulação, quando Jesus voltar para estabelecer o seu reino na Terra.

Essas passagens bíblicas, juntamente com outras interpretações teológicas e históricas, formam a base bíblica do Pós -Tribulacionismo. Os pós-tribulacionistas acreditam que a Igreja passará pela tribulação, mas será resgatada por Jesus na sua segunda vinda, que acontecerá imediatamente após a tribulação.

Esses são apenas alguns exemplos de estudiosos e líderes cristãos que defendem a posição pós-tribulacionista. Há muitos outros que também defendem essa posição, assim como há outros que defendem outras posições escatológicas. O importante é que todos os cristãos esperam a volta de Cristo e devem estar preparados para qualquer circunstância que possa surgir antes desse momento.

Escatologia Bíblica
Pré -Tribulacionismo
Meso – Tribulacionismo
Amilenarismo
Pré-Milenarismo
Pós-Milenarismo

ADILSON CARDOSO

Adilson Cardoso: Teólogo, Filósofo — Professor de Filosofia, Teologia, Hebraico e Grego.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.