Por que 4 Evangelhos na Bíblia?

Por que 4 Evangelhos na Bíblia? Um só não seria suficiente para narrar a biografia de Cristo? Se você tem dúvida ou curiosidade sobre este tema, então, leia o Artigo para esclarecer sua dúvida e matar sua curiosidade.

Deus é perfeito, seus planos também. Ele planejou todos os detalhes para que o Evangelho de Jesus chegasse a todos os povos. A salvação é o bem maior de Deus oferecida a todos os homens, é na Bíblia Sagrada que ela está posta. Eis aí a razão da Bíblia ter estes quatro livros.

Helenismo — quatro povos a serem alcançados.

      Judeus — Romanos — Gregos — Igreja

Por que 4 Evangelhos na Bíblia.

Por que 4 Evangelhos na Bíblia? Deus escolheu quatro homens, e eles escreveram para cada um destes povos. Cada um dos evangelistas recebeu a missão de escrever para um destes grupos, adaptando-os ao caráter, às necessidades e aos ideais de cada um deles.

Mateus Escreveu para os Judeus

Mateus sendo um judeu e conhecedor do judaísmo, escreveu para os judeus.

Particularidades de Mateus

Ao ler este livro, um leitor atento logo perceberá as particularidades nas entrelinhas.

Entre todos os Evangelhos, o de Marcos foi o primeiro a ser escrito, sendo assim, ele deveria ser o primeiro livro do Novo Testamento. Todavia, é o de Mateus que aparece primeiro. Isto ocorre porque os judeus entendiam que o Messias esperado deveria ter a genealogia dos patriarcas do Antigo testamento. Então, Mateus começa seu Evangelho apresentando a genealogia de Jesus para mostrar que Ele é da genealogia dos patriarcas.

Este é o único dos Evangelhos que começa com esta apresentação. Eis aí o porquê deste livro estar no início, ao terminar o AT o leitor se depara com Mateus no NT.

Messias esperado: os judeus esperavam a chegada do Messias. Mateus apresenta Jesus como o verdadeiro Messias. Faz muitas citações de passagens do AT referentes a pessoa do Messias.

Reino dos céus: repare que Mateus não emprega o termo “Reino de Deus” como os outros Evangelistas. Sabendo que os judeus não pronunciam o Nome de Deus devido ao terceiro mandamento Êxodo 20:7, ele troca para “Reino dos céus”. Estratégia inteligente para não causar rejeição.

Marcos Escreveu para os Romanos

João Marcos — João é um nome judeu, enquanto Marcos é latino. Isto sugere que ele foi educado pelos romanos. A familiaridade deste evangelista com este povo é visível nas entrelinhas dos seus escritos. Razão pela qual Deus escolheu este homem para escrever para este povo.

Particularidades do Evangelho de Marcos

Os Romanos eram um povo acostumado as grandes conquistas. Eram guerreiros e tinha o ideal do homem conquistador. Marcos apresenta Jesus como o conquistador poderoso.

Grandes investidas na base da força faziam uma nação vencedora deste povo. Marcos apresenta Jesus atuando com poder sobre as forças demoníacas e vencendo-as. Derrotando o inimigo e triunfando sobre as forças do mal, Jesus era um poderoso vencedor.

Marcos ao escrever para os Romanos narra o poder de Jesus sobre as forças da natureza, parando os ventos e acalmando as tempestades.

Marcos faz menção do dinheiro em moeda Romana.

O tempo é mencionado na divisão do tempo dos Romanos.

Ao contrário de Mateus, depois do capítulo 1 ele não efetua nenhuma citação ou referência as profecias do AT, indicação clara de que este povo não era familiarizado com as Escrituras como os judeus.

Lucas Escreveu para os Gregos

Lucas era grego e Deus o escolheu para escrever para os gregos. Este era um povo culto acostumado à Filosofia e a reflexão. Os gregos eram inquiridores e valorizavam o debate. Para alcançar, evangelizar e convencer este povo. Teria que ter alguém com o mesmo nível intelectual, eis aí a razão de Deus escolher um médico, portador de grande instrução e conhecimento.

O evangelista Lucas escreveu especialmente para o povo grego, cuja missão era melhorar o homem moral e intelectual.

Os gregos buscavam o ideal de homem perfeito através da Filosofia e do esporte. O homem com o corpo atlético malhado na academia de esportes e a mente trabalhada nas escolas de Filosofia, era o homem ideal e perfeito. Lucas, no livro que leva seu nome, apresenta jesus como o homem perfeito.

Particularidades do Evangelho de Lucas

Um leitor atento logo percebe que este livro, diferentemente dos outros Evangelhos, é mais metódico. Nas entrelinhas aparecem palavras de um grande pensador a um povo acostumado a pensar.

Lucas omite as profecias do AT, indicando que este povo não estava familiarizado com as Escrituras Sagradas.

Diferentemente de Mateus que trata da genealogia de Jesus a partir de José, pois, era importante para convencer os judeus. Lucas relata a genealogia de Maria, pois, isto traria novas informações omitidas pelos outros evangelhos e, não faria diferença para os gregos.

João Escreveu para a Igreja — Por que 4 Evangelhos na Bíblia?

O evangelista João escreveu para a Igreja e para todos os povos em geral. Apresenta Jesus como o Verbo encarnado de Deus. Segundo João, Jesus é o Filho de Deus e é o próprio Deus e Salvador daqueles que creem e o aceitam como o Cristo enviado. Se você ficou confuso, leia o Artigo sobre a Doutrina da Trindade.

Este foi o último dos Evangelhos a ser escrito.

Particularidades do Evangelho de João

Ele trata das Doutrinas com temas profundos como: a preexistência de Jesus (Eternidade), a deidade de Jesus, etc. Está claro nas páginas deste livro que ele foi escrito para um povo espiritual, principalmente, para Igreja.

Por que 4 Evangelhos na Bíblia? Resumo

  • Mateus apresenta Jesus como o Messias e Rei.
  • Marcos apresenta Jesus como o conquistador poderoso e Servo.
  • Lucas apresenta Jesus como o homem perfeito e Filho do homem.
  • João apresenta Jesus como o Filho Deus.
Por que 4 Evangelhos na Bíblia?

APARENTES CONTRADIÇÕES NOS EVANGELHOS

Existem muitas passagens nos Evangelhos que são “aparentemente contraditórias”. Exemplo: um evangelista faz menção da cura de um cego ao passo que o outro diz que foram dois.

Isto não tira a credibilidade da Bíblia, pelo contrário, apenas reforça que um nada copiou do outro. Eles escreveram seus relatos de diferentes pontos de vista, direcionados para alcançar um povo e segundo os interesses deste mesmo povo.

Entendendo o Dilema

Imagina que quatro escritores se propõe a escrever a biografia de um personagem famoso, por exemplo, o presidente da república. Ele é político, estadista, militar e pai de família.

O primeiro escreveria um livro com relatos sobre a vida política desta pessoa, eleições, viagens, reuniões, etc. O segundo manteria seu foco em todos os eventos de estado, campanhas, diplomacia, etc. O terceiro escreveria sobre o homem militar e suas condecorações. O quarto sobre o homem como pai, esposo, avô e chefe de família.

Repare que todos eles estão escrevendo sobre a mesma pessoa com foco, ângulo e pontos de vistas diferentes. É por isto que tem 4 Evangelhos na Bíblia.

Números desencontrados não anulam os Fatos

Suponhamos que acabou de acontecer um acidente, uma colisão entre dois ônibus. Dois repórteres estavam na hora do ocorrido sendo testemunhas oculares. Um viu o acidente pela parte de trás, ao passo que o outro estava na frente.

Horas depois, quando os veículos foram recolhidos, chegam outros dois repórteres para conduzir a cobertura. O que lhes resta é coletar informações com pessoas que presenciaram o acidente.

Chega a hora de apresentar a notícia na televisão, para surpresa de muitos. Uma emissora dirá que houve 4 mortos, outra 3 e por fim as outras duas informam ter 6 mortos. Eis a pergunta! As contradições com o número de mortos fazem com que o acidente não seja real? É evidente que não, o acidente aconteceu, foi real, independentemente dos números informados.

Por que 4 Evangelhos na Bíblia.

A causa dos números desencontrados é devido ao ponto de vista de cada escritor.

OS ESCRITORES — Por que 4 Evangelhos na Bíblia?

João e Mateus foram testemunhas oculares, escreveram o que viram. Marcos escreveu o que ele ouvia repetidas vezes de Pedro. Lucas realizou uma investigação detalhada como ele mesmo informa no primeiro capítulo do seu livro.

O fato de ter “aparentes contradições” nos Evangelhos não tira a credibilidade da Bíblia. Os números desencontrados não anulam a realidade da vida e obra de Jesus, é fato, aconteceu, Jesus viveu, morreu, ressuscitou, está vivo e voltará para nos buscar.

Youtube

Compartilhe:

ADILSON CARDOSO

Adilson Cardoso: Teólogo, Filósofo — Professor de Filosofia, Teologia, Hebraico e Grego.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.