Quem criou o mal

Quem criou o mal?

Quem criou o mal? As opiniões são diversas e controversas. Não se pode negar a realidade do mal, ele existe e se manifesta através das tristezas, fracassos, derrotas, violência, e por fim a morte temida por todos. Ainda poderíamos crescer esta lista com outras manifestações do mal. Daí surge à pergunta: quem criou o mal? Foi Deus ou o Diabo?

Muitos atribuem a criação do mal ao Diabo. Mas, será mesmo ele o criador do mal? Muitos filósofos se aventuraram no decorrer do tempo a explicar a natureza, origem e prática do mal. No entanto, este não é um problema filosófico e sim teológico.

Este artigo tem por finalidade apresentar ferramentas de avaliação que vai ajudar você leitor, a compreender e formar sua própria opinião. Não pretendemos ser tendenciosos e impor, mas, expor uma posição teológica e bíblica. Cujo resultado é chegar a uma posição aceitável.

Agostinho de Hipona, filosofo Medieval e considerado como um dos pais da igreja. Defendeu a ideia de que o mal não existe, ele é apenas a ausência do bem. Os filósofos modernos preferiram negar a existência de Deus ao atribuir a realidade do mal a bondade de Deus. Se Deus existisse, segundo eles, o mal não existiria.

Percebe-se que o tema é complexo e, ao mesmo tempo, relevante. Se por um lado exige atenção especial, em contrapartida, o esforço, recompensa e aproxima-nos de Deus. Principalmente, evita dar ao Diabo poder que ele não tem.

QUEM CRIOU O MAL SEGUNDO ISAÍAS 45.7

Quem criou o mal, vejam o relato de Isaías, capítulo 45 versículo 7:

“Eu formo a luz e crio as trevas; eu faço a paz e crio o mal; eu o Senhor, faço todas estas coisas”. Isaías 45.7 ARC.

 

יוֹצֵר אוֹר וּבוֹרֵא חֹשֶׁךְ עֹשֶׂה שָׁלוֹם

וּבוֹרֵא רָע אֲנִי יהוה עֹשֶׂה כָל־אֵלֶּה׃

Vamos analisar o versículo citado acima. A exegese é uma ferramenta indispensável na busca do conhecimento correto de um texto. A própria palavra exegese é “extrair ou tirar”. E é exatamente o que vamos fazer, analisar palavra por palavra.

Três verbos aparecem neste texto, e são os verbos que conduzem a ação. Aparece duas vezes o verbo “crio”, duas vezes o verbo “faço” e uma vez o verbo “formo”. Todos eles estão em primeira pessoa, três vezes o pronome pessoal de primeira pessoa “Eu”. E o sujeito da ação destes verbos é o Senhor.

Por que Isaías usou três verbos diferentes para que surgissem a luz, trevas, paz e mal? Curioso isto. Por que não usou apenas um verbo, visto que daria sentido à frase? Aqui está a chave para compreender, os verbos em hebraico não são iguais os da língua portuguesa.

O primeiro verbo usado uma vez “formo”, este verbo remete a formar uma coisa a partir de algo existente e projetado pela própria essência de Deus. Por exemplo, no primeiro dia da criação Deus disse, haja luz e houve luz, no entanto, ele criou os luminares sol e lua só no quarto dia.

O segundo verbo usado duas vezes “faço” a paz e faço todas estas coisas. Observe a palavra shalom “paz”, a paz não está vinculada a ausência do mal. A paz é um estado de espírito tranquilo em meio ao caos (mal). Sem o mal a paz não faria nenhum sentido. Neste sentido, a teoria de Agostinho de que o mal não existe e é apenas a ausência do bem, não se justifica.

O terceiro verbo “crio” aparece duas vezes no versículo, “crio as trevas”, “crio o mal”. Este é o mesmo verbo usado na criação, quando Deus criou todas as coisas. Trata-se do verbo “bará”, criar a partir do nada, somente Deus é o sujeito deste verbo. Ou seja, somente Deus possui poder criador e mais ninguém, inclusive, o Diabo não tem poder criador.

DEUS CRIOU O MAL PELAS SEGUINTES RAZÕES

Deus criou o mal porque Ele mesmo afirmou em Isaías 45.7. Repare nas palavras “eu o Senhor” faço todas estas coisas. Se Ele mesmo disse que criou o mal, então, quem somos nós para dizer o contrário?

Deus criou o mal porque ninguém mais possui poder criador. Não se pode negar que o mal existe, se não foi Ele, então quem criou? O verbo bará é usado somente quando aplicado a Deus como sujeito da ação, e este é o caso citado acima.

O verbo bará é o mesmo usado no restante da criação. Negar que Deus criou o mal é negar também que ele criou todas as outras coisas.

O primeiro ser a escolher o mal foi o próprio Satanás quando ainda era um anjo no céu. Se Satanás escolheu seguir o mal, é porque o mal já existia. Se já existia, quem o criou? Só pode ser Deus.

POR QUE DEUS CRIOU O MAL?

Entendemos que Deus criou todas as suas criaturas livres, sejam anjos, sejam homens. Criou o homem, a Sua imagem e semelhança. A semelhança pressupõe o livre arbítrio. O livre arbítrio só faz sentido tendo possibilidade de escolha. Caso contrário seriamos como as máquinas manipuladas e conduzidas por alguém. Seriamos como os robôs.

Ora, se a liberdade pressupõe escolha, então, necessariamente teria que existir o bem e o mal. Sendo assim, todas as criaturas livres, inclusive os anjos só seriam possíveis com o mal já existindo. Entende-se, então, que o mal obrigatoriamente é anterior a tudo e todos, menos Deus que é anterior ao mal e criador dele.

O PECADO É UM MAL, DEUS CRIOU O PECADO?

A resposta é não. O significado literal da palavra חַטָּא “chatá” no hebraico é “errar o alvo”. Ou seja, errar na escolha. Deus não é culpado das decisões que advém do livre arbítrio. Sendo assim Deus não criou o pecado.

CONSIDERAÇÕES FINAIS 

Quem criou o mal? Deve-se entender que o mal possui duas variáveis que não pode ser desprezado. A primeira é o mau com (u) sendo um adjetivo, isto é, aquilo que determina a qualidade da ação “uma prática do mau”. E Deus não pratica o mau.

A segunda palavra é o mal com ( L ) sendo um substantivo, este descreve a substância e determina a existência que possibilita a escolha, ou o livre arbítrio. Deve-se entender como “mal — bem” ou “mau — bom”. Sendo assim Deus criou o bem e o mal, e suas criaturas escolhem ser bons ou maus.

Deve-se também evitar dar poderes ao Diabo que ele não tem. Ele não tem poder de criar nada, inclusive o mal. Ele atua dentro dos limites que Deus permite. Você pode imaginar, se está criatura tivesse poder criador? Ele criaria um mal maior e destruiria Deus, isto é impensável. Somente Deus tem poder criador

Deus criou o bem e o mal antes de toda a criação. Não existiria livre arbítrio sem a existência do mal. Deus não criou o pecado e muito menos pratica o mau. Um dia o mau será eliminado da terra com o Diabo e seus seguidores.

Espero ter contribuído com este artigo para te ajudar a formar sua própria opinião ou posição teológica. Seja um formador de opinião. Deixa seu comentário abaixo. Dê sua opinião, seja ela favorável ou não, assim você estará contribuindo para a formação do conhecimento.

Adilson CardosoProfessor Adilson Cardoso, Teólogo, Filósofo – Professor de Filosofia, Teologia, Hebraico e Grego.

Se você gostou do Artigo Quem criou o mal, pode gostar também:

Pecado e Iniquidade qual a diferença

Quer Aprender Hebraico Grátis? Junte-se a nós no YouTube!

Playlist com todas as aulas

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Consulte nossa página de Política de Privacidade