Relacionamento abusivo — O que fazer?

Relacionamento abusivo — O que fazer? Na vida temos que enfrentar muitos obstáculos e problemas. Não há outro caminho. Tudo o que não pode ser curado ou resolvido deve ser suportado e, supostamente, aceitado. Este velho e tolo conselho é defendido e propagado, principalmente, por alguns religiosos. Este é o motivo por que muitas pessoas perdem a esperança. Isso torna a vida miserável, pesada e insuportável.

Se você se casar e tiver um marido imaturo, covarde e violento. Quando ele não te respeita, as agressões físicas e verbais são frequentes, como você poderá lidar com esta situação? Às vezes, pessoas como eles são caprichosos e facilmente incomodados pelo menor motivo. Por que é que eles estão fazem isto?

Relacionamento abusivo destrói a confiança e a autoestima, entristece a vítima e tira, às vezes, a vontade de viver, eis aí a razão do alto índice de suicídio por pessoas que estavam em um relacionamento abusivo.

O abuso físico pode ser doloroso e mostrar sua face horrenda, entretanto, o abuso emocional pode ser mais insidioso e evasivo. Em alguns casos, tanto o agressor quanto a vítima não sabem o que está acontecendo. Apenas, observam e entendem o ocorrido quando ele se agrava e torna-se insustentável.

Relacionamento abusivo

Abuso emocional

Os abusadores emocionais parecem ter prazer em abusar, é como um vício, uma adrenalina que percorre o corpo em busca de satisfação. Eles insultam, intimidam, culpam, ameaçam e envergonham suas parceiras para amedrontá-las.

Usam o cancelamento como método de controle, eles controlam insanamente os gastos e retém o dinheiro de suas parceiras.  Eles restringem o uso do carro e aprisionam suas vítimas para evitar que elas saiam. Muitas vezes proíbem suas esposas de trabalhar, e outros, em contrapartida, forçam suas parceiras a trabalhar para se apossar do dinheiro delas. São dois extremos perigosos e danosos.

O abuso emocional pode ser um assassino em potencial da alma. A pessoa entra em um estágio de negação, ela se recusa a acreditar que está em um relacionamento abusivo, pois, deseja ardentemente acreditar que seu abusador realmente o ama. Paulatinamente, o abuso emocional de alguém que deveria te amar, irá impedir que você seja feliz, consequentemente, abalar a sua saúde mental, levando-o a uma dúvida paralisante, vergonha e provavelmente ao suicídio.

Não espere isso acontecer, liberte-se das amarras que te prendem. Nunca se sacrifique por um amor que não te merece. Seja firme e decida agora enquanto ainda há tempo para voltar ao seu antigo eu. Estatísticas apontam que parceiros abusivos dificilmente se regeneram, quase sempre os abusos aumentam e se agravam. O desejo de tentar controlar os outros não os satisfaz pela simples razão de que a causa primária de sua ansiedade está dentro deles, são oriundas de desequilíbrio emocional, brotam de um grande medo de fracassar ou do medo do isolamento e da privação.

Sinais de Abuso – Relacionamento abusivo

Relacionamento abusivo deixa sua marca e sinais visíveis; se o relacionamento com seu parceiro é marcado por abuso emocional contínuo e generalizado. Você pode estar deprimida e a depressão evoluir para outros problemas de saúde mental como resultado desse abuso contínuo.

A pessoa abusada quase sempre é manipulada e anulada como pessoa. Ela deixa de escrever a própria história para viver a história aos moldes do abusador.  Sua autoestima e confiança são quase inexistentes, pois seu agressor reduziu sistematicamente sua identidade.

Abusadores emocionais são covardes e valentões. No entanto, assim que você recuperar suas forças e aprender a estabelecer seus limites, eles saberão que você não aguenta mais. Uma vítima de abuso muitas vezes não vê o abuso como abusivo. Sua situação fragilizada impede sua capacidade de raciocinar e entender que está num relacionamento abusivo. Quase sempre, a vítima nega a condição de abusada.

As vítimas de abuso emocional, às vezes, têm medo de se defender. Elas possuem um medo incontrolável de que seu parceiro vá embora ou piore as coisas. Elas temem que as agressões aumentem. 

Saiba se você está em um relacionamento abusivo. Responda às perguntas abaixo, caso as respostas sejam afirmativas, então, chegou a hora de se libertar das amarras deste relacionamento.

  • Você se nega e se anula como pessoa?
  • Você tem medo do seu parceiro?
  • Você se sente culpada e acredita que merece os maus-tratos?
  • Você chora, não se alimenta direito e tem dificuldade para dormir?
  • Você se sente impotente, deprimida ou presa?
  • Seu agressor quer atenção constante ou sexo forçado?
  • Você vive o “faz de conta” ou evita abordar certos assuntos para manter a paz?
  • Você está se queimando e procura um meio de agradar seu parceiro, sempre acreditando que as coisas podem mudar a qualquer momento, mas, isso não é suficiente?
  • Você sempre se sente culpada ou se desculpa com o seu abusador, você minimiza a gravidade do problema para escapar das agressões?
  • Você é tratada como inútil, como uma serva imprestável ou como uma criança?
  • Você está temerosa e sem esperança?
  • Você sente que suas forças se esgotaram e que não há saída para o seu relacionamento?
  • Você sente que não consegue viver sem o seu parceiro, pois, não pode se sustentar, financeira ou fisicamente sem a ajuda dele?
  • O abusador aumentou as práticas abusivas no decorrer do tempo?
  • Você tem medo de separar do seu parceiro e teme o que ele fará com você, com seus filhos e com sua família?
Relacionamento abusivo

Perfil do Abusador

É fácil identificar um abusador, pois, ele tem um perfil:

  • O abusador nunca assume seus erros, sempre responsabiliza sua vítima por suas ações.
  • Sempre acusa a parceira e depois justifica as ações culpando-a como autora do problema.
  • Quase sempre se apresenta como o portador da verdade, jura que o que você viu, ouviu ou experimentou nunca aconteceu.
  • É possessivo e trata sua parceira como uma “coisa” ou objeto. É ciumento e age como o dono de sua vítima.
  • O abusador é sempre falso, acusa sua parceira de galantear com outras pessoas ou de ser trapaceira.
  • A parceira tem que se vestir e agir conforme as vontades dele.
  • Trata a parceira como uma cozinheira ou serviçal, controla seu peso e define qual alimento deve ser consumido, principalmente, aqueles que ele gosta.
  • No supermercado, coloca no carrinho apenas aquilo que lhe agrada.
  • Usa o celular dela como um instrumento de controle, quer saber com quem ela fala quando está no telefone.
  • Liga insistentemente para o celular dela, quer saber por onde ela anda.
  • É explosivo, destemperado e de pavio curto, geralmente é violento.
  • Gosta de machucar sua parceira destruindo objetos de alto valor sentimental.
  • Geralmente é egoísta, mentiroso, traiçoeiro, traidor e manipulador.
  • O abusador obriga a parceira fazer sexo de forma indesejada e repugnante.
  • Geralmente possui um vocabulário impróprio, exalam palavras de xingamento, ignora os sentimentos e rebaixa sua vítima.
  • Só enxerga os defeitos de sua parceira, ignora as qualidades.
  • Gosta de comparar sua parceira com outras mulheres e, às vezes, humilha-a na frente dos outros.
  • Ameaças constantes são práticas para amedrontar e acuar sua vítima.

Relacionamento abusivo — O que fazer para mudar?

O primeiro passo é reconhecer que está imersa nesta relação e desejar se livrar dela. Não se pode escapar de um problema negando-o. Nem pode haver libertação para um escravo conformado.   

O segundo passo é se apegar com alguém que pode fazer aquilo que você não pode. Este alguém é Deus, o Todo Poderoso, para Ele nada é impossível, inclusive, a transformação de um abusador.

Se você ama seu conjunge e não quer perdê-lo, se o ambiente em que você vive não existe nenhum risco para sua vida e da sua família, então, lute pelo seu casamento, confie em Deus, com certeza Ele irá te ajudar.

Quando a sua vida e a da sua família virou um inferno devido ao relacionamento abusivo. Quando sua saúde física e emocional está abalada pelo agressor. Se a sua felicidade já não é mais possível, então, chegou a hora de soltar as amarras e se libertar deste agressor. Não esqueça que a vida é curta, ela passa e sua felicidade também. Liberte-se enquanto é tempo e seja feliz.

Se você e seus entes queridos estão sofrendo violência doméstica de qualquer natureza, então, denuncie seu agressor. Não tenha medo, lugar de covardes é na prisão. Deus não criou os humanos para serem escravizados uns pelos outros. Ninguém é superior a ninguém, você merece ser feliz, seja feliz!  

Namoro cristão

ADILSON CARDOSO

Adilson Cardoso: Teólogo, Filósofo — Professor de Filosofia, Teologia, Hebraico e Grego.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.