Sou o que Sou

Sou o que Sou

Sou o que Sou, em êxodo 3.14 foi à resposta de Deus a Moisés. Para o leitor da Bíblia na tradução de Língua Portuguesa, fica quase impossível saber exatamente o que Deus quis dizer. Por isto, iremos analisar e extrair do texto hebraico as informações que as traduções ocultaram.

Vejam a pergunta de Moisés:

“E Moisés disse a Deus: Eis que eu irei aos filhos de Israel, e lhes direi: O Deus de vossos pais me enviou a vós, e eles me dirão: Qual é o seu nome? E o que lhes direi?” Êxodo 3.13

Vejam a resposta de Deus que é no mínimo curiosa:

“E Deus disse a Moisés: Eu Sou o que Sou. E ele disse: Assim dirás aos filhos de Israel: Eu Sou me enviou a vós”. Êxodo 3.14.

A resposta parece vazia e sem sentido. Agora, vejamos no texto hebraico:

וַיֹּאמֶר אֱלֹהִים אֶל־מֹשֶׁה אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה

Vayiomer Elohim El Moshéh ehyeh asher ehyeh

E disse Deus a Moisés Eu Serei que Serei

Repare que o verbo “ser” no hebraico está no futuro (serei) e na tradução de Língua Portuguesa foi traduzido no presente (sou).

הָיָה “ser, estar” esta é a forma simples do verbo

אֶהְיֶה aqui o verbo está com o prefixo “alef” (em vermelho) que é um prefixo de conjugação de futuro (Serei). Tirando o prefixo, sobra o verbo na sua forma normal. Agora compare com o Tetragrama יהוה que é Nome próprio de Deus, ele aparece cerca de sete mil vezes no Antigo Testamento Hebraico. Vejam o verbo הָיָה “hayah” e seus respectivos significados:

הָיָה Ser, existir, tornar-se, acontecer, vir, passar a ser (gramática do hebraico bíblico, Allen P. Ross, Editora vida).

Agora confira abaixo o verbo “chayiah”, repare a semelhança com o verbo “hayah” e o Tetragrama:

חָיָה Viver, existir, estar com vida, vivificar, restaurar à vida, refrigerar, reavivar, manter a vida, deixar viver, preservar (gramática do hebraico bíblico, Allen P. Ross, Editora vida).

Vejam o Vídeo clique aqui

O QUE MOISÉS ENTENDEU COM EU SOU O QUE SOU?

Eu Sou o que Sou, segundo as traduções de Língua Portuguesa, no entanto, deve-se substituir pelo texto hebraico “Eu Serei o que Serei”. Após esta substituição a resposta de Deus a Moisés começa a clarear nosso entendimento.

A resposta que parece simples e sem sentido apresenta com uma profundidade enorme no hebraico. Os verbos no futuro remetem a ações ou decisões no futuro. Visto que, nós não temos qualquer possibilidade de saber nem controlar o futuro. As incertezas do que será o amanhã, acompanham e atormentam-nos e nos obrigam a buscarmos resposta no transcendente. Algo que não está preso ao tempo e ao espaço “este algo é Deus”.

Agora que sabemos que o futuro estava nas decisões que eles deveriam tomar, entendemos que Deus disse a Moisés: O viver, existir, tornar-se, acontecer, vir, passar a ser, estar com vida, vivificar, restaurar à vida, refrigerar, reavivar, manter a vida, deixar viver, preservar. Tudo isto estava implícito na essência de Deus “no Tetragrama ‘YHWH’, no qual, Deus projeta a Si mesmo através dos verbos “Hayah e Chayah”.

Ao projetar-se, Deus transfere para Moisés e o povo a responsabilidade de escolha. O futuro deles dependia exclusivamente deles, ao escolher Deus eles estavam escolhendo o direito à vida, a existência, fazer as coisas acontecerem, refrigerar e restaurar a vida.

REFLEXÕES FILOSÓFICAS SOBRE O “SER”

Parmênides, filósofo pré-socrático e a filosofia do “SER”

O Ser absoluto

Toda nossa realidade é imutável, estática, e sua essência está incorporada na individualidade divina do Ser absoluto, o qual está presente em todo o Universo. Este Ser é onipresente, uma vez que qualquer descontinuidade em sua presença seria equivalente à existência de seu contrario – o Não ser.

Este Ser não pode ter sido criado por algo, pois isso implicaria em admitir a existência de um outro Ser. Do mesmo modo, esse Ser não pode ter sido criado do nada, pois isso implicaria a existência do “Não ser”. Portanto, o Ser simplesmente é.

O Ser absoluto não pode vir-a-ser. E não podem existir vários “Seres-Absolutos”, pois para separá-los precisaria haver algo que não fosse um Ser. Consequentemente, existe apenas a Unidade eterna.

O ser é e pode ser pensado e dito, pois o ser é ele mesmo, sendo idêntico a si mesmo e será possível que o seu negativo, que é o não ser, também possa ser pensado e dito, pois a afirmação do ser depende de sua negação, a análise de seu oposto, ou seja, o nada ou não ser.

Leia a citação de Morente:

em virtude do princípio de que o ser é, e o não ser não é, princípio que ninguém pode negar sem ser declarado louco, podemos afirmar acerca do ser uma porção de coisas. Podemos afirmar, primeiramente que o ser é único. Não pode haver dois seres; não pode haver mais que um só ser. […] Mas ainda podemos afirmar que é eterno. Se não o fosse, teria princípio e teria fim. Se tem princípio, é que antes de começar o ser havia o não-ser. […] Por conseguinte, antes que o ser fosse , havia também o ser; quer dizer, que o ser não tem princípio. Pela mesma razão não tem fim, porque se tem fim, é que chega um momento em que o ser deixa de ser. […] Mas não fica nisto. Além de eterno, o ser é imutável. O ser não pode mudar, porque toda mudança do ser implica o ser do não ser, visto que toda mudança é deixar de ser o que era para ser o que não era, e, tanto no deixar como no chegar a ser vai implícito o ser do não ser, o que é contraditório. Mas, além de imutável, o ser é ilimitado, infinito. Não tem limites ou dito de outro modo, não está em parte alguma. Estar em uma parte é encontrar-se em algo mais extenso e, por conseguinte, ter limites. Mas o ser não pode ter limites, porque se tem limites, cheguemos até estes limites e suponhamo-nos nestes limites. […] Mas há mais, e já chegamos ao fim. O ser é imóvel, não pode mover-se, porque mover-se é deixar de estar num lugar para estar em outro. […] Se resumimos todos esses predicados que Parmênides atribui ao ser, encontramos que o ser é único, eterno, imutável, ilimitado, e imóvel. Morente (1980, p. 73)

Entende-se por Eu Sou o que Sou: o Ser é único, Eterno, Imutável, Infinito, Imóvel, Onipresente, Onisciente, Onipotente. Ou seja, Ele é Deus.

Veja o vídeo 

Adilson CardosoProfessor Adilson Cardoso, Teólogo, Filósofo – Professor de Filosofia, Teologia, Hebraico e Grego.

Se você gostou do Artigo Sou o que Sou, então, pode gostar também:

Tradução Salmo 150 Hebraico

Quer Aprender Hebraico Grátis? Junte-se a nós no Youtube!

Playlist com todas as aulas

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Consulte nossa página de Política de Privacidade