Salomão - A letra mata

Salomão – A letra mata? – Análise e Interpretação

Salomão – A letra mata? Salomão entende assim? Já tratamos deste tema analisando o segundo Capítulo da Carta aos Coríntios, Capítulo 3. Neste Artigo, nossa atenção recai sobre o Livro de Provérbios. Vamos analisar usando as lentes do sábio Salomão.

Provérbios é uma palavra grega adotada pela Septuaginta, porém, a origem do Livro vem do Hebraico מִשְׁלֵי  (misheley) “governo de”, raiz do verbo מָשַׁל (mashal) “governar”. Ou seja, um manual de orientação para autogovernar-se. A letra mata, no livro de Provérbios não aparece em nenhum capítulo, e mais, ainda fica subtendido o esforço do autor para estimular seus leitores a buscar o conhecimento.

A palavra “conhecimento” permeia todo o livro, acompanhe sua incidência:

Salomão – A letra mata? A LETRA MATA NO LIVRO DE PROVÉRBIOS

  • 1 — PROVÉRBIOS de Salomão, filho de Davi, rei de Israel;
  • 2 — Para se conhecer a sabedoria e a instrução; para se entenderem, as palavras da prudência.
  • 3 — Para se receber a instrução do entendimento, a justiça, o juízo e a equidade;
  • 4 — Para dar aos simples, prudência, e aos moços, conhecimento e bom siso;
  • 5 — O sábio ouvirá e crescerá em conhecimento, e o entendido adquirirá sábios conselhos;
  • 6 — Para entender os provérbios e sua interpretação; as palavras dos sábios e as suas proposições.

O Livro inicia mostrando seus objetivos: receber instrução, dar conhecimento, entender e interpretar. Para interpretar corretamente, somente é possível recorrendo à Hermenêutica e a exegese, fator que exclui qualquer ideia de “a letra mata” nas entrelinhas deste Capítulo.

Quem acredita que o crente não precisa estudar porque o Espírito Santo revelará tudo, infelizmente, além de não entender estes seis primeiros versículos. Também, não terá a menor possibilidade de prosseguir nos capítulos que seguem. Todavia, este não é o seu caso, amigo leitor! Veja as reflexões fortíssimas no relato a seguir:

Salomão – A letra mata? 

A LETRA MATA NO LIVRO DE PROVÉRBIOS é incoerente, acompanhe no texto abaixo a posição do autor, o próprio Deus:

Provérbios 1:20-29

  • 20 — A sabedoria clama lá fora; pelas ruas levanta a sua voz.
  • 21 — Nas esquinas movimentadas ela brada; nas entradas das portas e nas cidades profere as suas palavras:
  • 22 — Até quando, ó simples, amareis a simplicidade? E vós escarnecedores, desejareis o escárnio? E vós loucos, odiareis o conhecimento?
  • 23 — Atentai para a minha repreensão; pois eis que vos derramarei abundantemente do meu espírito e vos farei saber as minhas palavras.
  • 24 — Entretanto, porque eu clamei e recusastes; e estendi a minha mão e não houve quem desse atenção,
  • 25 — Antes rejeitastes todo o meu conselho, e não quisestes a minha repreensão,
  • 26 — Também de minha parte eu me rirei na vossa perdição e zombarei, em vindo o vosso temor.
  • 27 — Vindo o vosso temor como a assolação, e vindo a vossa perdição como uma tormenta, sobrevirá a vós aperto e angústia.
  • 28 — Então clamarão a mim, mas eu não responderei; de madrugada me buscarão, porém não me acharão.
  • 29 — Porquanto odiaram o conhecimento; e não preferiram o temor do SENHOR:

Parece incoerente, pensar num Deus de amor, bom e misericordioso; que ri e zomba de alguém que clama por Ele nas madrugadas, buscando alivio para seu aperto e angústia. Este texto no Livro de Provérbios nos intriga e impulsiona a buscarmos respostas. Uma análise mais acurada do texto descobre-se que o Eterno tem suas razões para isto.

Nos versículos 20 e 21, a sabedoria busca insistentemente, pessoas que lhe acolha e valorize. Ela está nas esquinas movimentadas, nas praças e cidades. Ou seja, ela está ao alcance de todos. A Palavra de Deus canaliza e organiza de forma sistemática através das ferramentas da Teologia e da Filosofia. Ferramentas que ajudam o homem a ser sábio.

No versículo 22, o autor faz três perguntas, no entanto, é a terceira que vai ganhar força e apontar a causa da indignação de Deus. Veja a pergunta: “Até quando?” odiareis o conhecimento. Ele ainda chama insensato ou (louco em algumas versões) aqueles que rejeitam o conhecimento. O resultado disto é a causa do Eterno rir e zombar da pessoa.

Vamos pensar juntos, caro amigo leitor: quando você compra um veículo ou qualquer aparelho eletrônico, todos eles vêm acompanhados de um manual de instrução, cuja garantia é vinculada ao manuseio correto do mesmo. Quem não ler não vai conhecer, sem conhecer não há como fazer bom uso e pode danificá-lo, ou até mesmo perder a garantia.

Imagine que você compra um carro, paga caro por ele. Chega o final de semana, você pega seu belo carro e vai viajar com sua família. Lá pelas três horas da madrugada, seu carro quebra numa estrada deserta e, imediatamente, você desesperado liga para o fabricante e ouve a seguinte pergunta: você leu o manual de instrução? Se você disser que não, ele vai rir e zombar de você, é obvio que perderá a garantia.

Agora imagina que Deus deu seu bem mais precioso “Seu Filho Jesus”. Ele pagou muito caro, “preço de sangue e muito sofrimento”. Também, nos deu um manual de instrução “a Bíblia”. Porém, você acredita que a letra mata e obviamente não vai ler o manual. Não lendo não vai conhecer, não conhecendo não vai manusear corretamente e, com certeza, irá corromper a Palavra e criar heresias.

Imagine a sena meu amigo, a pessoa está em angústia e aperto, levanta de madrugada para orar e clamar,  se depara com um Deus que ri e zomba. Onde está o problema? O problema repousa nas Leis estabelecidas no Manual, se você está violando o Manual, mesmo que seja por falta de conhecimento em decorrência na crença de que a letra mata. Você pensa que Deus vai mudar o que está escrito para atender a sua oração?

Vamos pensar juntos! Imagine uma via cuja velocidade máxima é 80 km/h e você trafega a 100, leva uma multa. Agora, revoltado você recorre. O que você espera? Que alguém vai mudar ou violar as leis estabelecidas para te ajudar? É claro que não. Por que seria diferente com Deus? O que está escrito na Bíblia jamais será mudado para atender orações desesperadas de quem viola os mandamentos.

Encerra-se esta reflexão com a pergunta do versículo 22: até quando? Você vai odiar o conhecimento e acreditar que a letra mata? Sofrer as consequências, cuja causa está no versículo 29.

A LETRA MATA E O RELATO DE AGUR

A letra mata criada pelos incautos deixaria Agur envergonhado, se ele estivesse aqui hoje. Acompanhe abaixo seis versículos apenas, mas, carregados de palavras fortes que nos obrigam a refletir em suas colocações.

Salomão – A letra mata? A LETRA MATA NO LIVRO DE PROVÉRBIOS

  • 1 — PALAVRAS de Agur, filho de Jaque, o masaíta, que proferiu este homem a Itiel, a Itiel e a Ucal:
  • 2 — Na verdade eu sou o mais bruto dos homens, nem mesmo tenho o conhecimento de homem.
  • 3 — Nem aprendi a sabedoria, nem tenho o conhecimento do santo.
  • 4 — Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas numa roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome? E qual é o nome de seu filho, se é que o sabes?
  • 5 — Toda a Palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele.
  • 6 — Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso.

Para ter sabedoria é necessário reconhecer a própria ignorância, diria o filósofo Sócrates: “Uma vida não examinada não vale ser vivida”. Sua frase clássica: “Tudo que sei é que nada sei”. Na primeira Carta aos Coríntios 11:28 é lido todos os meses nos cultos de Ceia, mas, com pouca ou quase nenhuma reflexão: “Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice”.

Agur começa seu relato em primeira pessoa. Repare o pronome pessoal “eu” sou o mais bruto dos homens. Seguido pelas negações: nem tenho conhecimento de homem, nem do santo, nem aprendi a sabedoria. Logo após ele dispara várias perguntas, e são elas que nos movem em busca das respostas. Precisamos constantemente avaliar nossas supostas verdades. Não é possível pensar em uma pessoa que não tem curiosidade.

É interessante, suas perguntas estão relacionadas ao Eterno. É isso mesmo caro amigo leitor! São perguntas teológicas, típicas de quem não pensa, jamais, que a letra mata. Suas indagações chegam ao auge, quando ele fica perturbado com a pergunta: “Se é que sabes?”

Desafio você leitor, faça uma pesquisa entre aqueles que se dizem serem crentes ou cristãos, pergunte se eles sabem o nome de Deus? O Tetragrama aparece cerca de sete mil vezes no AT. E qual é o nome de seu Filho? Principalmente, os nomes relacionados aos  idiomas originais, hebraico e grego. Sua preocupação estende-se para além dos limites da ignorância, ao expressá-lo a pureza da Palavra de Deus e chamar mentiroso quem as mudam, ou corrompem-nas.

Os defensores da ideia de que a letra mata, ignoram o perigo de estarem mudando a Palavra de Deus e engrossar a lista dos mentirosos. Lembrem-se, as Palavras que estão na Bíblia são Palavras de Deus, porém, quando alguém muda ela torna-se palavra do Diabo. Lembra da pergunta da serpente em Gênesis: “Foi assim que Deus disse?” E ela mudou a Palavra de Deus “morrereis” para “certamente não morrereis”, esta mudança foi fatal.

A preocupação de Agur com quem muda a Palavra de Deus tem fundamento. Grosso modo, este cuidado também permeia as páginas da Bíblia. Vejam as orientações do próprio Deus:

  • 2 — Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que eu vos mando. Dt 4:2
  • 32 — Tudo o que eu te ordeno, observarás para fazer; nada lhe acrescentarás nem diminuirás. Dt 12:32

As últimas palavras da Bíblia, encerram fortíssimas advertências contra aqueles que diminuem ou acrescentam algo: Apocalipse 22:18-19

  • 18 — Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;
  • 19 — E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.

Poderíamos abordar todo o conteúdo do livro para engrossar o entendimento. No entanto, cabe a você que ama estudar a Palavra de Deus, percorrer as entrelinhas dos textos e verificar o quanto este autor estimula a busca do conhecimento.

Salomão – A letra mata?

Salomão aponta três classes de pessoas no livro de Provérbios: O tolo, o inteligente e o sábio.

O tolo: é aquele que erra sempre e nunca aprende.

O inteligente: é aquele que erra e aprende com os próprios erros.

O sábio: é aquele que aprende com os erros dos outros.


Agora que você viu o Artigo, Salomão – A letra mata, veja também:

A letra mata? Paulo – Análise e Interpretação

Adilson CardosoProfessor Adilson Cardoso, Teólogo, Filósofo – Professor de Filosofia, Teologia, Hebraico e Grego.

Quer Aprender Hebraico Grátis? Junte-se a nós no Youtube!

Playlist com todas as aulas

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Consulte nossa página de Política de Privacidade