Os Rastros de Esaú

Os Rastros de Esaú

Esaú, por onde andou depois do suposto perdão do seu irmão Jacó? Será que houve perdão verdadeiro? Enquanto por um lado Jacó dava origem ao povo de Israel. Por outro, Esaú dava origem ao povo de Edom (edomitas ou edumeus)

Confira abaixo os textos que deram origem a nação de Edom:

Gn 25.25 O primeiro saiu vermelho

Gn 25.30 deram o nome de EdomEsaú

Gn 32.3 território de Edom

Gn 35.1; 36.8 que também é Edom.

Gn 36.9 Esaú, pai dos edomitas.

Gn 36.19 este é Edom

Gn 36.43 Esaú foi pai dos edumeus

Esaú e Jacó UMA LIÇÃO SOBRE O PERIGO DE RANCOR NA FAMÍLIA

Esaú e Jacó. Apesar de descender de dois irmãos gêmeos, as nações de Edom e Israel tornaram-se inimigas rancorosas e implacáveis. Essa inimizade começou muito antes com uma raiz de “amargura” que se tornou uma inimizade mútua, nacional, jamais reconciliada (Hb 12.15-17). Ironicamente, começou num lar piedoso, onde o favoritismo foi demonstrado pelos pais, e provocou intensa rivalidade entre os rapazes e amarga contenda entre seus descendentes (Gn 25.28 SS; 27.41).

Aquela inimizade no seio de uma família ainda produz manchetes internacionais no Oriente Médio, lembrando-nos do principio afirmado por Tiago: “Vejam como um grande bosque é incendiado por uma simples fagulha” Tg 3.5.

Esaú & EDOM: Significa vermelho. Foi este o nome dado a Esaú por motivo da cor vermelha da sopa de lentilha, pela qual ele vendeu a Jacó o seu direito de primogenitura (Gn 25.30; 36.1). Este país nos tempos do NT era conhecido pelo nome de Eduméia (Mc 3.8).

Sua capital era a espetacular cidade chamada “Petra ou Sela”, descoberta pelos arqueólogos há algumas dezenas de anos. Os edomitas tinham um parentesco de sangue com Israel e, como seu pai eram guerreiros robustos, impetuosos e orgulhosos. Pertenciam a uma nação que, por estar no alto da montanha, parecia ser invencível. 

CENÁRIO GEOGRÁFICO: Edom (Esaú) era uma cidade montanhosa que ocupava uma região a sudoeste do Mar Morto. É um território estreito e montanhoso, com 160 km de comprimento por 32 de largura, sendo a altura média acima do nível o Mar Morto uns 500 metros. Limita-se ao Oriente pelo deserto da Arábia, sendo a sua fronteira Ocidental vizinha de Judá. É uma região com um clima magnífico. Foi esta terra que Esaú ocupou logo depois da morte de seu pai Isaque.

FORÇA POLÍTICA DE EDOM (Esaú): Os edomitas eram um povo orgulhoso e ousado, conhecido por sua sabedoria e força. As escarpadas montanhas em que viviam davam-lhe isolamento e proteção natural, e os verdejantes planaltos proporcionavam viçosos pastos a seus rebanhos. Sela (Gr Petra) é uma das cidades mais coloridas do mundo.

Erguida sobre arenito, é quase invulnerável. Tem poucas entradas; a principal é “Sik”, um estreito desfiladeiro de quase dois quilômetros. No tempo dos nabateus, essa cidade tornou-se um centro de caravanas, desenvolvendo um comércio em quatro direções. Sobreviveu como um grande centro até 630 d.C., quando foi devastada pelos árabes muçulmanos. Ficou perdida para o mundo ocidental até ser redescoberta em 1812.

RELACIONAMENTO DE JUDÁ COM EDOM: Embora Israel e Edom fossem originários de irmãos gêmeos, Jacó e Esaú, ele tornaram-se inimigos inveterados. Seu relacionamento pode ser resumido nos seguintes acontecimentos:

1406 a.C. Edom recusou passagem a Israel a caminho do Jordão (Nm 20.14-21).

992 a.C. Davi conquistou Edom, matando a maioria dos homens (2Sm 8.13; 1Rs 11.15 ss).

860 a.C. Edom (Esaú) (com Moabe e Amom) atacou Judá, mas foi destruído por seus aliados, Moabe e Amom, depois de Josafá ter convocado o povo à oração (2cr 20).

847 a.C. Edom revoltou-se contra Judá, constituindo seu próprio rei (2Cr 21.8).

845 a.C. Edom e Filistia pilharam Judá (2Cr 21.16-17). É provável que o livro de Obadias tenha sido escrito logo após esta pilhagem.Esaú

785 a.C. Amazias atacou Edom, matando 20 mil homens (2Cr 25.11-12).

735 a.C. Edom revoltou-se novamente, levando muitos cativos (2Cr 28.17).

586 a.C. Edom, vingativamente, ajudou a Babilônia a destruir Jerusalém, e por esse motivo foi lhe permitido estabelecer-se na parte Sul de Judá (Sl 137.7; Ez 25.12).

300 a.C. Cidades e terra de Edom foram tomadas pelos Árabes nabateus, forçando os edomitas a ir para o centro e o sul de Judá.

165 a.C. Judas Macabeu tomou Hebrom, que se tinha tornado capital dos edomitas.

40 a.C. Herodes, o edumeu, sucedendo seu pai Antipater, tornou-se rei da Palestina, conquistando Jerusalém em 37 a. C.

70 d.C. Os edomitas aliaram-se aos romanos para destruir e arruinar Jerusalém. A seguir, desapareceram das páginas da história como povo, sendo assimilado [1] pelos árabes nabateus do sul de Judá.

Esaú e o relato de Obadias

TEMA: Julgamento de Deus sobre o vingativo Edom (Esaú) e a restauração final de Israel.

AUTOR: Nada se sabe sobre o profeta Obadias, exceto que estava em Jerusalém na ocasião dos violentos ataques de Edom à cidade.

AUTORIA: Obadias significa “servo do Senhor”. Era um nome comum no AT, semelhante a Onésimo no NT ou Abdula e, Árabe.

CENÁRIO HISTÓRICO: (1Rs 5.16-22; 2Cr21)

DATA EM QUE FOI ESCRITO: 845 a.C.

OBJETIVOS DO LIVRO DE OBADIAS; O profeta tinha dois objetivos: 1- Anunciar a destruição final de Edom (Esaú) em razão de sua violência e vingança insaciável contra Israel, povo de Deus.

2- Reafirmar o triunfo final do Monte Sião no “Dia do Senhor”, quando Israel possuirá a terra de Edom. A “cidade invulnerável” não será o Monte Seir, mas o Monte Sião.

CONTRIBUIÇÕES SINGULARES DE OBADIAS

O TRISTE DESTINO DO FILHO FAVORITO DE ISAQUE Esaú: O livro refere-se ao destino final dos filhos gêmeos de Isaque e Rebeca, cujo casamento foi um dos mais celebres da Bíblia (Gn 24). Todavia, a ênfase do livro está em Esaú, por intermédio de quem Isaque insistia em que a benção continuasse apesar de Deus já ter selecionado Jacó (Gn 25.23). A preferência de Isaque por Esaú parecia ser a melhor escolha, de conformidade com as atividades de ambos em Gênesis. Mas a história decorrente da independência, vingança e violência dos descendentes de Esaú demonstra o perigo das escolhas humanas em oposição às divinas.

LIVRO PEQUENO COM GRANDE PRÓLOGO: (Gn 25.23; Is 63.1; Ml 1.4). A mensagem do livro não pode ser apreciada adequadamente sem o pleno conhecimento do passado. Obadias não é apenas o menor livro do AT, mas provavelmente o de mais longa introdução. A seguir, alguns pontos culminantes da história de Edom:

A história começa com a disputa entre os irmãos gêmeos, em que Jacó e sua mãe planejam arrancar de Esaú seu direito de primogenitura e benção (Gn 25 e 27).

A inimizade e amargura de vinte anos diminuiram um pouco quando Jacó teve um encontro com Deus, ao voltar de Padã Arã (Gn 32 e 33).

Sua inimizade tornou-se nacional quando Israel voltou do Egito, apesar de o Senhor ter ordenado a Israel que não vingasse (Nm 20.14-21; Dt 2.5).

  1. Essa inimizade entre Israel e Edom continuou por mil anos, de Moisés a Malaquias, envolvendo muitas escaramuças [2].
  2. Os edomitas foram condenados por muitos profetas: Números 24.18-19; Isaias 11.14; Jeremias 49.7-22; Ezequiel 25.12-14; Joel 3.19; Amós 1.11-12; Ml 1.3-4.
  3. Mateus apresenta a história de Jesus nos capítulos 1 e 2 de seu Evangelho, com o registro da intensa inimizade de Herodes, o idumeu, que se tinha tornado rei de Israel. Essa inimizade pode ser notada em diversas gerações da dinastia herodiana
  4. Herodes o grande, procurou assassinar Jesus (Mt 2.16).
  5.  Herodes Antipas assassinou João Batista, procurou matar Jesus e humilhou-o cruelmente no julgamento de sua morte (Mt 14.10; Lc 13.31; 23.11).
  6. Herodes Agripa I matou Tiago e tentou matar Pedro (At 12.1ss).
  7. A nação de Edom (Iduméia), como Israel extingue-se depois da invasão romana em 70 d.C.. e os romanos incorporam-na à Arábia Pétrea.
  8. Os edomitas são evidentemente muito criticados pelos profetas por causa de sua renovada preeminência nos últimos dias, pois eles serão os inimigos que o Messias destruirá quando vier em julgamento (Is 34.1-8; 63.1-4. Mt 1.4).
  9. Essa destruição final será completa e perpétua, embora outros antigos vizinhos de Israel sejam restaurados (Is 19.23-25; Jr 49.13; Ez 35.9; Ob 9; Ml 1.4).

Obadias é a síntese do último capítulo da história, como se fosse a conclusão dos livros sobre Edom. Foi um povo que poderia ter-se tornado grande. Era dotado de rara sabedoria e força, mas “vendeu o seu direito de primogenitura” por desprezar a palavra de Deus e o povo escolhido por Ele.

Os edomitas permitiram que um antigo ciúme se transformasse em amargura e vingança, incorrendo no eterno julgamento divino. São extremamente raros os edomitas de renome, tais como Doegue, que matou os sacerdotes de Nobe, Hadade inimigo de Davi, Herodes que tentou matar o Messias (1Sm 22.18; 1Rs 11.14ss; Mt 2.18).

[1] Processo pelo qual um grupo social minoritário perde suas características culturais, sendo absorvido pelo grupo maior.

[2] Combate, briga, contenda

Esaú Visite Nosso Canal Esaú

Inscreva-se no site para receber novos artigos

Inscreva-se, PENSAR BEM FAZ BEM por Email

Facebook Comments