Trabalho AP II da Educação e tecnologias da informação e da comunicação

EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO

Educação apresentada como trabalho AP II na disciplina tecnologia da informação e comunicação. Acompanhe abaixo a questão e o texto que foi avaliado com nota máxima:

Caro Aluno,Educação

“Temos a oportunidade de fazer da educação à distância o instrumento fundamental de uma educação sem distância, democrática e adaptada a cada indivíduo – uma educação em rede que seja assegurada em toda a parte e para todos.

Graças à utilização dos sistemas de rede, de que fala Manuel Castells (1999), podemos esperar uma melhor redistribuição de conhecimentos, envolvendo centros mais prósperos e regiões menos favorecidas ligando, com muita clareza, a prioridade da educação e formação à política ativa de igualdade de oportunidades e de combate ao insucesso e à exclusão.”

Para que essa possibilidade se torne realidade, o que precisa acontecer? Faça uma relação de 2 ações, estratégias ou políticas que precisam ser assumidas pela sociedade brasileira (governo, universidades, escolas, empresas…, indivíduos).

TEXTO

Todos os dias acompanhamos na televisão, jornais e revistas; a decadência moral, social e estrutural da sociedade brasileira. Estamos inseridos num ambiente em que a violência cresce de forma assustadora e por mais que se tenta eliminá-la, parece escapar ao controle impondo medo e terror em todas as camadas sociais. Não se pode dizer que a humanidade deseje essas condições e fenômenos. Embora o homem fique intrigado e assustado ele permanece imutável como se nada tivesse acontecendo.

Este modelo de educação que oferece diploma e ignora o conhecimento. Professores preparados para transmitir e não construir conhecimentos e a insistência em manter o modelo mecanicista, favorece o cenário descrito acima. Parece um quebra cabeça, cujas peças não se encaixam. Por isso, este tema é atual, emergente e, de extrema relevância para se discutir e buscar uma solução que aponte uma luz no fim do túnel.

Uma nação se faz com educação. É mais barato investir em educação do que em presídios. Cabe aos governos despertarem a consciência e fazer políticas que priorizem a formação do cidadão. A cada colação de grau estará surgindo um profissional competente para servir a sociedade e evitando um marginal a mais para tirar-lhe a tão almejada paz.

Investir na educação em redes o resultado será mais significativo. Para isso, é necessário popularizar e facilitar a compra de computadores e outras ferramentas utilizadas na EAD, para que as camadas mais baixas da sociedade tenham acesso a elas.  Disponibilizar internet de qualidade e de baixo custo ao alcance de todos. Criar mecanismos de alfabetização digital.

Quanto as Universidades e escolas cabem a elas lançarem um olhar sobre o aluno como um cidadão em formação e não apenas um mero consumidor de seus cursos ou um cliente que acrescenta lucro a instituição. Criar polos de apoio nos lugares mais remotos para promover igualdade de direitos, interação, participação, contato com culturas e ideais diferentes.

Criar conteúdo na matriz curricular que estimule a arte de pensar, articulação das ideias e elimine o analfabetismo funcional, este último nos parece mais desafiador. Ensinar de forma intensa a filtrar o grande volume de informação que se propaga pelos meios de comunicação.

As empresas precisam voltar seus olhares para as três gerações (baby boomers, geração x e y, também, a geração Z que está surgindo). Identificar cada uma delas, criar um ambiente de interação em redes entre os baby boomers (mecanicistas) e as demais gerações x e y (informatizadas) inserindo-as num ambiente digital e harmonioso. Também, favorecer um ambiente de socialização entre seus colaboradores de forma a extinguir o individualismo.

De posse destas informações concluímos que, o governo investe em políticas públicas e educação e economizará na construção de presídios e manutenção de presos, pois, estes se tornarão profissionais do bem. As universidades e escolas serão mais eficazes evitando o desgaste e esgotamento físico e financeiro dos seus docentes e discentes e os demais profissionais da área.

A sociedade como um todo, grosso modo, terá acesso à educação, visto que, em redes não há distância, nem barreiras de idade. Os cursos são mais baratos possibilitando acesso as classes sociais mais baixa. Observa-se que a educação é a única saída para o caos que a sociedade brasileira mergulhou. E a educação em redes é o modelo mais rápido, mais eficiente e mais barato. É o complexo, o tecer juntos.

UNICID-UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Trabalho para avaliação AP II

Se este texto te ajudou compartilhe, deixa um comentário abaixo. Registre-se no site, insira seu Email na caixa que aperece no lado direito desta tela. Depois confirme seu cadastro na sua caixa de Emails.

Veja este Artigo também

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!
Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.
%d blogueiros gostam disto: