https://adilsoncardoso.com/2019/04/24/lazaro-ressuscitou/

LÁZARO RESSUSCITOU? LÁZARO NÃO RESSUSCITOU

Lázaro ressuscitou? O que é ressurreição? Se ressuscitou, por que ele morreu depois? Por que Jesus demorou tanto para socorrer o amigo? Quais as implicações na citação de Marta? “Tu és o Cristo”. Este Artigo pretende trabalhar a construção de ideias e extrair o ponto central para ajudar você entender as mensagens obscuras nas entrelinhas do Capítulo 11 do Evangelho de João.

Antes de fazermos uma aplicação exegética no tema em questão precisamos entender o que é ressurreição. Para isto nossa atenção recai sobre a passagem da primeira Carta aos coríntios Capítulo 15, versículos 20 e 23:

“Mas, agora, Cristo ressuscitou dos mortos e foi feito as primícias dos que dormem”. Primeira Coríntios 15:20

O Apóstolo Paulo é claro em afirmar que Cristo foi o primeiro a ressuscitar.  E o versículo abaixo complementa afirmando que “cada um por sua ordem”, isto é, na ordem Jesus ressuscita primeiro, “depois” os que são de Cristo.

“Mas cada um por sua ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda”. Primeira Coríntios 15:23

Tendo em vista estas informações importantíssimas entendemos que só existe um caso de ressurreição na Bíblia, ou seja, somente Jesus ressuscitou e ninguém mais. Antes de Jesus ninguém ressuscitou. Você deve estar se perguntando neste momento, e Lázaro, a filha de Jairo e outros? Veja a lista abaixo:

1) O filho da viúva de Sarepta – 1Rs. 17.17-24

2) O filho de uma mulher sunamita – 2Rs. 4.32-37

3) Homem que caiu sobre os ossos de Eliseu – 2Rs.13.20-21

4) O filho da viúva de Naim – Lc.7.11-15

5) A filha de Jairo – Lc.8

6) Lázaro – Jo.11.1-44

8) Dorcas – At. 9,36-42

9) Automático – Às 20.9-10

LÁZARO RESSUSCITOU

RESTAURAÇÃO A VIDA E NÃO RESSURREIÇÃO

O fato da afirmação de que ninguém ressuscitou antes de Cristo não é a negação do milagre. Todos eles estavam mortos e no caso de Lázaro ele já estava podre com tantos dias depois de morto. O milagre da vida é uma realidade na vida destas pessoas.

Precisamos entender que um corpo ressurreto é um corpo transformado e não morre mais. Uma vez ressuscitado é para sempre como foi o caso de Jesus. Todos os mortos citados acima morreram, voltaram a viver, mas, morreram de novo. Estes são casos de restauração a vida e não de ressurreição. Veja a citação de Olson:

Os casos de Lázaro, a filha de Jairo, Dorcas e outros semelhantes não são propriamente casos de “ressurreição”, mas sim de restauração a vida natural. Todos estes tornam a morrer. A pessoa uma vez “ressuscitada” não morre novamente (Romanos 6:9;    Lucas 20:36;  Apocalipse 19:20). A ressurreição significa que o gérmen da vida física é revestido dum corpo glorificado e espiritual (1 Coríntios 15:35-55; 2 Coríntios 5:1-4; Jó 19:25-27). Todos os mortos serão ressuscitados (João 5:28-29; Daniel 12:2; 1 Coríntios 15:22). Somente os justos receberão corpos glorificados, semelhantes ao corpo de Jesus após a sua ressurreição (Filipenses 3:21; 1 João 3:2; Rm 6:5). Os incrédulos, na segunda ressurreição, receberão apenas um corpo, e este não glorificado, no qual poderão sofrer durante a eternidade (Ap 20:5,10,12; 14:9-11; 21:8. O corpo glorificado é composto de ossos e carne, mas não de sangue (Lucas 24:39-43). OLSON N. Lawrence, O Plano Divino Através dos séculos, páginas 183,184, Rio de Janeiro, CPAD.

RESSURREIÇÃO NO IDIOMA GREGO

O Capítulo 15 da Primeira Carta aos Coríntios mostra um jogo entre as palavras (ἐγείρω egeírō) e  (αναστασις anastasis). Ambas foram traduzidas como “ressurreição – ressuscitar”. Quando se trata da ressurreição de Jesus é usada a primeira e na ressurreição de humanos a segunda. Estas diferenças indicam claramente que ressurreição e restauração a vida diferem entre si. Por exemplo:

“Assim também a ressurreição (anastasis) dos mortos. Semeia-se o corpo em corrupção, ressuscitará (egeiro) em incorrupção.” 1Co15:42


Este artigo não tem a pretensão de aprofundar o estudo na primeira Carta aos Coríntios, e sim no tema proposto que está no Evangelho de João e na citação de Marta. Achei importante agregar estas informações para ter uma visão mais holística, creio que é suficiente.

Restauração da Vida de Lázaro

João 11

Esta é uma das mais belas passagens da Bíblia, ela aponta as fronteiras intransponíveis entre a fé e a razão, entre a vida e a morte. Ora a fé vai transpor a razão ora a razão vai transpor a fé. Quando a vida cessa e não há mais o que fazer, a fé ressurge e se agiganta. Ela reconhece seus limites e recorre à única possibilidade “Deus”. Foi exatamente o que Marta fez ao ser indagada “crês tu isso?”. Sua resposta foi imediata:

“Sim, Senhor, creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus…”

Assim como Pedro havia dito anteriormente que Jesus é o Cristo, agora é a vez de Marta. Ninguém reconhece a divindade sem a autenticação de um milagre. Isto aconteceu quando o grande peixe vomitou Jonas e aconteceu com várias outras personagens bíblicas. A partir daqui vamos fazer uma análise mais detalhada de todo o Capítulo 11 de João.

A ideia central deste Capítulo gira em torno de levar Jesus a ser reconhecido como o Filho de Deus. Serve para mostrar a Glória de Deus e testemunhar aos povos sobre o poder de Jesus sobre a morte.

A morte é a última fronteira da vida que o homem não pode transpor nem eliminá-la, por isto, o desespero em meio ao caos. Jesus era verdadeiramente homem, mas também verdadeiramente Deus, a vida estava em suas mãos. E esta deidade precisava ser reconhecida e testemunhada por muitos.

Para Jesus, o maior milagre não é a cura de um corpo ou dar a vida para um morto, mas o reconhecimento dos limites humano e a aceitação do poder sobrenatural.

Tudo começa quando Lázaro o irmão de Maria e Marta fica doente e elas mandam avisar Jesus. Que surpreendente foi à resposta de Jesus: “Esta enfermidade não é para a morte, mas para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela”.João 11:4

Esta foi à principal razão de Jesus ficar ainda outros dois dias no lugar onde estava. Tempo suficiente para acontecer à morte de Lázaro. No versículo 15 ele reforça “eu lá não estive para que acrediteis”. Quando Jesus chegou ao local já havia passado quatro dias.

Lázaro estava já em estado de decomposição, todo sistema cerebral paralisado, por isso, Marta entendeu que ele só poderia ressuscitar no último dia quando todos os mortos vão ressuscitar. O cerne da questão repousa no entendimento sobre as seguintes palavras no versículo 26: “aquele que vive e crê em mim nunca morrerá”. Crês tu isso?

Como assim, nunca morrerá? É claro que esta morte está relacionada com a ressurreição. Um corpo ressurreto não morre mais. Surge daí a afirmação de Marta: “creio que tu és o Cristo”. O autor da vida eterna. A conversa extrapola a esfera de restauração da vida física para apontar para as extremidades da Eternidade.

Jesus trás de volta a vida de Lázaro e o propósito da missão que começou com a confissão de Marta: “Tu és o Cristo” versículo 27, estende-se a Maria: “O Mestre está aqui” versículo 28, alcança a multidão: “para que creiam que tu me enviaste” versículo 42 e termina com os judeus: “creram nele” versículo 45.

Considerações Finais

LÁZARO RESSUSCITOU? LÁZARO NÃO RESSUSCITOU

A Missão de Jesus em demonstrar seu poder e sua divindade foi alcançada com êxito, com a confissão e os testemunhos largamente propagados por Marta, Maria, a multidão e os judeus.

Lázaro não ressuscitou, pois, um corpo ressurreto não morre mais e Lázaro morreu posteriormente. O que aconteceu foi à restauração da vida, após quatro dias de morto ele voltou ao convívio social.

O fato de Lázaro não ter ressuscitado não é a negação do milagre que ocorreu diante dos olhos de muitas testemunhas.

LÁZARO RESSUSCITOU? NÃO, LÁZARO NÃO RESSUSCITOU


Visite nosso Canal no Youtube

Vídeos com aulas de Hebraico para você aprender de forma fácil e agradável. Inscreva-se para receber novos vídeos.

Lázaro ressuscitou? Lázaro voltou a Vida – Lázaro ressuscitou? Lázaro Voltou a viver

error: Conteúdo protegido

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.
%d blogueiros gostam disto: