A Educação na Grécia Antiga e a Educação Caótica no Brasil

A Educação na Grécia Antiga e a Educação Caótica no Brasil estão separadas no tempo, no espaço e na forma como é aplicada. No entanto, o caos do presente, nos remete ao passado em busca de uma solução urgente. Olhar para o passado, compreender o presente, nos ajudará mudar o futuro.

A Educação na Grécia Antiga

Vivemos num mundo Capitalista globalizado, cujo valor do homem repousa no “ter” e não no “ser”. O valor humano é medido pela sua conta bancária, pelas posses e acúmulo de bens. Para alcançar este fim os pais desde cedo, preparam seus filhos para a vida profissional e não para serem cidadãos éticos, moral e justos, capazes de reconhecer e respeitar as diferenças de classe social, gênero, raça, etnia, etc.

Por isto, é de extrema importância reportar-se ao passado e usar as mesmas lentes para enxergar a Paideia na ótica dos gregos. Embora, as diferenças culturais são gritantes, no entanto, as necessidades humanas são as mesmas. Formar pessoas para conviver de modo pacifica numa sociedade amoral e violenta.

Quem não olha para o passado é como um homem sem memória, fadado a repetir os mesmos erros e não aprender com eles, ao mesmo tempo em que, também, perde a oportunidade de beneficiar-se dos seus acertos. Cabe a nós, fixar um olho no passado e o outro nas mazelas do presente para agir conforme as necessidades da Polis em que vivemos.

A EDUCAÇÃO NA GRÉCIA ANTIGA

Os gregos caminharam na contramão do nosso sistema Capitalista. Enquanto aqui se formam profissionais para o mercado de trabalho, eles não tinham como objetivo ensinar um ofício e sim ensinar a grandeza e a liberdade do homem em sociedade. Para viver moralmente por meio de uma postura ética e bons hábitos de costume e esta era uma preocupação desde a infância, desenvolver uma pessoa honrosa perante a sociedade.

Um olhar atento logo perceberá que as Universidades criadas para promover unidade em meio à diversidade assumiram o papel de empresas, cujos alunos transformaram-se em clientes e o objetivo final é o lucro.

Não é raro ouvir alguém perguntar: Por que nossa sociedade é tão violenta, individualista e apressada? O que deu errado? Podemos mudar este cenário caótico e indesejado? Vejamos abaixo as lições extraídas da Paideia grega:

O homem é formado de corpo e alma, um dualismo que se une e se completam. Então, a formação humana pressupõe e exige um corpo saudável. A prática do esporte era uma prioridade e por isto valorizada. Cabe às escolas estabelecer, valorizar e incentivar a prática, para que a educação física não seja apenas mais uma matéria na grade curricular.

Quanto à alma, a parte imaterial e metafísica, é a parte mais importante do ser. Nela está localizado o intelecto que possibilita o exercício da razão. E as emoções que, às vezes, interferem nas decisões. Neste dualismo é necessário olhar para cima para entender o sofrimento e o indesejado. E olhar para dentro de si para o autoconhecimento, “conheça-te a ti mesmo” frase clássica de Sócrates.

Um conjunto de ferramentas usadas pelos gregos objetivando alcançar o homem virtuoso ainda estão a nossa disposição. Elas poderão contribuir à medida que forem aplicadas corretamente para desenvolver o senso crítico, sem dogmatização e alienação.

Enquanto a Teologia trabalha o espiritual a poesia dá rima aos sentimentos. Por um lado a Filosofia provoca o debate, aguça o senso crítico e ajuda romper com o senso comum. Por outro, a matemática fornece o lógico e a retórica prepara a persuasão. A astronomia ajuda compreender nossa insignificância e finitude. Em contrapartida a gramática organiza a escrita e a comunicação. Por fim, a música acalma a alma e dá ritmo ao entretenimento.

Ainda que o professor não seja valorizado financeiramente, mesmo que tudo conspire contra a educação. Ainda que não haja políticas publicas, nem interesse ou esperança de um amanhã melhor. A Paideia mostrou claramente que é possível acreditar que um conjunto de ensinamentos que trabalha a pessoa como um todo. Pode manter docentes motivados a encarar e transformar um mundo em transformação.

A Educação na Grécia Antiga

A maior de todas as contribuições é alertar os pais e docentes sobre a necessidade de preparar a criança não somente para o mercado de trabalho, mas, também para refletir, questionar e cobrar. Para compreender que todos têm direitos, mas também deveres. O que é certo é que estamos caminhando rumo ao abismo, incerto e perigoso. Um terreno escorregadio cujo manter em pé é difícil, a menos que agarremos na Paideia que manteve a Polis grega governável e habitável.

A Educação na Grécia Antiga foi construida objetivando alcançar uma mente reflexiva e inquiridora. Coisa que todo aparato tecnológico que está  a nossa disposição não foi capaz de fazer.  A velocidade que as informações propagam e a incapacidade de filtrá-las, produziu uma sociedade apressada, individualista e egoistam


Inscreva-se no Site para receber novas postagens. Deixa seu Email na caixa que está no lado direito desta tela e depois abra sua caixa de Emails para confirmar sua inscrição. Sem a confirmação o registro não será validado. Não fazemos spam e somos contra quem o faz. Que o Eterno vos abençoe

 

Você sabe seguir instruções corretamente? Faça o teste

Facebook Comments