POR QUE DEUS ESCOLHEU PAULO DE TARSO? 

POR QUE DEUS ESCOLHEU PAULO DE TARSO?

Por que Deus escolheu Paulo de Tarso? “Deus não chama os capacitados, mas capacita os escolhidos”. Esta frase está presente em adesivos nos vidros dos carros e nas pregações de muitos pregadores, principalmente, aqueles que gostam de movimento, barulho ou os animadores de palco.  Mas, quando avaliamos esta frase a luz do chamado de Paulo, ela se sustenta?

Por que Deus escolheu Paulo de Tarso

Por que Deus escolheu Paulo de Tarso? e não outro? Este Artigo não tem a pretensão de tratar sobre calvinismo e predestinação, isto extrapola o tema proposto aqui. Abordaremos apenas a causa do chamado de Paulo.

Talvez, você deve estar se perguntando agora: Se havia tanta gente naquela época, então, por que justamente Paulo?  Deus chamou um inimigo perseguidor e assassino para implantar igrejas e escrever quase a metade do Novo Testamento? Parece estranho este chamado, por isto, este Artigo é relevante.   É o que pretende-se responder nas entrelinhas deste tratado.

Atos 9:1-4 – ARC

  • 9 – E Saulo, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote
  • 2 – e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns daquela seita, quer homens, quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém.
  • 3 – E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu.
  • 4 – E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?

Filipenses 3:6 – ARC

  •  segundo o zelo, perseguidor da igreja; segundo a justiça que há na lei, irrepreensível.

1 Coríntios 15:9

  • Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus.

Atos 8

  • 1 – E também Saulo consentiu na morte dele. E fez-se naquele dia uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judéia e de Samaria, exceto os apóstolos. 
  • 3 – E Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão.

TRÊS POVOS A SEREM ALCANÇADOS

Judeus, Romanos e Gregos formavam a miscigenação dos povos. Nossa primeira reflexão recai sobre a necessidade destes três povos serem evangelizados. Ou seja, o escolhido teria que ser alguém capacitado e habilidoso. A missão não podia falhar.

Nossa abordagem será fatiada em três tempos, vamos começar falando sobre os Gregos:

PAULO EM ATENAS

Havia em Atenas um local chamado Ágora, praça pública, cuja reuniões aconteciam entre os cidadãos atenienses para tratar dos problemas da Polis (cidade). Eram discutidos problemas comuns e complexos. Todos poderiam apresentar suas teses, mas, para ser aceita e discutida o apresentador deveria ?convencer o público sobre a importância do seu projeto ou argumento. Por que Deus escolheu Paulo de Tarso?

A falta de persuasão resultava na rejeição do discurso. E consequentemente, no que nós chamamos de engavetamento de projeto. É amigo leitor! Como você pode perceber o pregador de Atenas não poderia falhar. Tinha que ser alguém que falasse grego, ser filósofo e possuir poder de persuasão.

Se o argumento sobre Jesus e a salvação fosse rejeitado, os gregos não seriam evangelizados. Acompanhem abaixo a presença de Paulo em Atenas. Lembrem-se, Atenas é o berço da Filosofia:

 Atos 9:1-4

  • 15 – E os que acompanhavam Paulo o levaram até Atenas e, recebendo ordem para que Silas e Timóteo fossem ter com ele o mais depressa possível, partiram.
  • 16 – E, enquanto Paulo os esperava em Atenas, o seu espírito se comovia em si mesmo, vendo a cidade tão entregue à idolatria.
  • 17 – De sorte que disputava na sinagoga com os judeus e religiosos e, todos os dias, na praça, com os que se apresentavam.
  • 18 – E alguns dos filósofos epicureus e estoicos contendiam com ele. Uns diziam: Que quer dizer este paroleiro? E outros: Parece que é pregador de deuses estranhos. Porque lhes anunciava a Jesus e a ressurreição.

Observa-se que ele disputava na praça (na Ágora) com os que se apresentavam. E ainda para complicar ele disputava “todos os dias”. Caro amigo leitor! Para disputar com filósofos nas praças todos os dias era necessário preparo e um conhecimento profundo de filosofia. Desafio você amigo leitor, procure uma praça próximo de sua casa e começa a debater com as pessoas para sentir na pele o que Paulo fazia.

Vale lembrar que os filósofos eram os intelectuais da época. Indagavam e questionavam, tudo passava pelo crivo da reflexão. No versículo 18 aparece duas escolas de filosofia representadas pelos “epicureus e estóicos”. Paulo contendia com alguns deles. Eis ai a primeira razão para Deus escolher Paulo. Provavelmente não havia outro com tanto preparo filosófico naquela época.

Por que Deus escolheu Paulo de Tarso?

Por que Deus escolheu Paulo de Tarso? Para evangelizar os judeus porque não havia ninguém melhor que um Fariseu com conhecimentos profundos do judaismo como Paulo. Vejam os versículos abaixo:

Gálatas 1 – ARC

  • 14 – E, na minha nação, excedia em judaísmo a muitos da minha idade, sendo extremamente zeloso das tradições de meus pais.

As palavras fortíssimas em destaque “excedia em judaísmo” e “extremamente zeloso”, apontam para um profundo conhecimento em judaísmo.

Filipenses 3:5-6 – ARC

  • 5 – Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu,
  • 6 – segundo o zelo, perseguidor da igreja; segundo a justiça que há na lei, irrepreensível.

Veja estes mesmos versículos na Tradução NTLH- Linguagem de Hoje:

  • 5 – Fui circuncidado quando tinha oito dias de vida. Sou israelita de nascimento, da tribo de Benjamim, de sangue hebreu. Quanto à prática da lei, eu era fariseu.
  • 6 – E era tão fanático, que persegui a Igreja. Quanto ao cumprimento da vontade de Deus por meio da obediência à lei, ninguém podia me acusar de nada.

Atos 23:6 ARC

  • 6 – E Paulo, sabendo que uma parte era de saduceus e outra de fariseus, clamou no conselho: Homens irmãos, eu sou fariseu, filho de fariseu; no tocante à esperança e ressurreição dos mortos sou julgado.

Precisamos fazer uma pausa para refletir sobre o perigo da religiosidade. A Religião “é o ópio do povo”, diria Karl Marx, é o mau da sociedade. Paulo em nome e Deus cometeu crimes, e para piorar, pensava ser o representante de Deus fazendo a coisa certa. O zelo sem entendimento pode ser uma arma perigosa. Muitos crimes e guerras “santas” são praticadas em nome de Deus.

Veja aqui os massacres em nome de Deus

Entende-se que Paulo era conhecedor do judaísmo e da Toráh e não havia ninguém em sua época com tanto preparo como ele. Esta foi a segunda razão do porque Paulo foi escolhido por Deus para uma missão especial.

Confiram ? Atos 9:1-4

  • 17 – De sorte que disputava na sinagoga com os judeus e religiosos e, todos os dias, na praça, com os que se apresentavam

O versículo acima é enfático em afirmar que Paulo disputava na sinagoga com judeus e religiosos. Esta é uma tarefa somente para os preparados e Paulo era a pessoa certa.

PAULO E OS ROMANOS

Os Romanos eram um povo guerreiro e poderoso, um povo conquistador, um Império construído e estabelecido pela força. Os Romanos eram pouco tolerantes com qualquer pretensa usurpação do poder de Cesar. A pena capital era constantemente aplicada, principalmente por meio de crucificação.

Como Jesus era considerado rei, ganhava popularidade e muitos seguidores. Logo, tornou-se uma ameaça para Cesar e o seu reino. O desfecho disso todos nós sabemos, foi crucificado. O fato de Jesus ter sido morto, não cessou o temor que pairava entre os romanos. Embora crucificado e morto fisicamente, no entanto, estava vivo na pregação de seus seguidores, entre eles o próprio Apóstolo Paulo.

A violenta perseguição estende-se, então, a todos os cristãos da época. Por isto, a missão de implantar igrejas deveria recair sobre alguém que tivesse algumas armas de defesa para continuar com a missão e, obviamente, vivo. Paulo mesmo em meio a tantas perseguições possuía algo positivo. Era judeu de nascença, entretanto, possuía cidadania Romana.

Os cidadãos romanos gozavam de status social mais privilegiado que o dos estrangeiros, permitindo-lhes acesso a um tratamento especial por parte do Estado. Foi o que o manteve vivo até completar a missão. Quando foi martirizado em Roma no reinado de Nero, ao soar em sua boca “combati o bom combate”, ele já havia escrito todas as cartas que lemos no NT e havia implantado igrejas em todas as regiões.

Atos 22:27-29 – ARC      

  • 27 – E, vindo o tribuno, disse-lhe: Dize-me, és tu romano? E ele disse: Sim.
  • 28 – E respondeu o tribuno: Eu com grande soma de dinheiro alcancei este direito de cidadão. Paulo disse: Mas eu sou-o de nascimento.
  • 29 – E logo dele se apartaram os que o haviam de examinar; e até o tribuno teve temor, quando soube que era romano, visto que o tinha ligado.

Uma rápida análise nos versículos acima já é suficiente para entender a importância da cidadania romana na vida de Paulo. A expressão “e até o tributo teve temor quando soube que ele era romano”, mostra claramente que o tratamento era diferenciado em detrimento as demais pessoas que não possuíam cidadania romana.

PAULO O INTELECTUAL

Por que Deus escolheu Paulo de Tarso?  Outra razão do porque Deus escolher Paulo e não outra pessoa foi o seu alto nível intelectual. Paulo falava todos os idiomas da época. Logo após sua  conversão passou a viajar para diversos países de línguas Siríacas como Corinto, Éfeso, Tessalonica etc. Depois aos 60 anos foi pregar em Roma, cuja a língua oficial era o latim. Então, é provável que ele falava judaico, aramaico, siríaco, turco, grego e latim. 

1 Coríntios 14:18 – ARC

  • 18 – Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos.

Atos 22:2 – ARC

  • 2 – E, quando ouviram falar-lhes em língua hebraica, maior silêncio guardaram.

Também ele foi educado pelo mais ilustre Rabino de sua época. Um professor culto e sábio. Paulo dominava com facilidade as questões religiosas que tangia a Lei de Moisés.

Conclui-se que Paulo foi um Teólogo, Filósofo, Escritor e um grande pensador que influenciou o mundo de sua época e nos deixou um legado de valor incalculável.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Esta apresentação foi apenas uma fagulha sobre o legado de Paulo. Poderíamos escrever páginas e mais páginas para somar ao vasto conteúdo de informações existentes sobre este grande homem de Deus. Porém, o Artigo aqui exposto é suficiente para responder a pergunta: Por que Deus escolheu Paulo de Tarso? A resposta é obvia, ele preencheu todos os requisitos exigidos para uma obra de tamanha magnitude.

Também derruba a frase antibiblica de que Deus não chama os capacitados. Se esta frase fosse verídica Deus não teria escolhido Paulo para a obra. Outra pessoa sem preparo teria sido um desastre total, a obra seria interrompida e não teríamos, talvez, o grande compêndio teológico que apresenta Cristo na Sua Plenitude terrena.

Um motivo final para o chamado de Paulo era o zelo, a dedicação, reverência, temor ao Eterno e a responsabilidade que, às vezes, nos falta como obreiros da Igreja contemporânea. O que não falta nesta igreja são obreiros despreparados, irresponsáveis e preguiçosos. Sem generalizar, ainda existem alguns poucos que preservam a integridade cristã.

Se você tem mais informações para agregar a este artigo deixa abaixo nos comentários. Sua participação é importante para juntos construirmos um conhecimento sólido. Que o Eterno vos abençoe.

olheu Paulo de Tarso?-Por que Deus escolheu Paulo de Tarso?

Se você ainda não se inscreveu no site, coloque seu Email na caixa que aparece no lado direito desta página. Em seguida abre seu Email e confirme sua inscrição. A inscrição acontece apenas uma vez, depois você receberá as novas postagens automaticamente.

Visite Nosso Canal Por que Deus escolheu Paulo de Tarso

Por que Deus escolheu Paulo de Tarso?-Por que Deus escolheu Paulo de Tarso?-Por que Deus esc

 

 

Deixe uma resposta